As vantagens de ser invisível (livro)



Ficha técnica
Título original: The perks of being a wallflower
Gênero: Drama; Romance
Escrito por: Stephen Chbosky
Classificação: 4/5
Número de páginas: 223
Editora: Rocco




Este é um livro diferente de todos os outros que já li, sem dúvidas. De fato, é um romance para adolescentes, mas que deveria ser lido por todos, independente de sua idade, etc. O personagem principal, Charlie, é um menino que vive a vida, como já dizia Chorão, que por coincidência era o vocalista da banda cujo nome era Charlie Brown Jr., na marginalidade. Não porque ele é um marginal, mas por ficar na margem: observando a vida e a harmonia do ambiente em que vive, tais como a relação dos seres-humanos entre si. Alguém detalhista, inteligente, que fala de menos e escuta demais. Preservado, paciente. Enfim, como já declara o título: um invisível. Um considerado "ninguém"pela sociedade, por não se adequar aos modelos "padrões" que nos são exigidos todos os dias. 
Só que ser invisível tem lá suas vantagens. Afinal, quando se está na "margem" é possível se observar o outro, aprender com os erros dos outros, saber a hora de ficar quieto e a hora em que deve-se exaltar. E, por ter tanto conhecimento assim, aprende-se a dar valor ao que realmente é importante. Mas então Charlie, enfim, faz alguns amigos e descobre que, apesar de viver na margem ter suas vantagens, o bom mesmo é cada um ter as suas próprias experiências, mesmo se algumas vezes tiver de errar. É aí que o personagem descobre os sentimentos, as emoções. E, como em uma das passagens do livro ele diz, se sentir "infinito". 
Sabe como é, você já deve ter se sentido "infinito" alguma vez em sua vida… Assim como Charlie. Alguém que viveu por tanto tempo "sem-vida", sabe dar valor a um momento de alegria. Isso é o que ele chama de se sentir "infinito". É experimentar uma sensação, vivenciar um momento tão bom que deseja experimentá-lo todos os dias. Como se algo surgisse de dentro de você naquela hora, que te dá vontade de pular, cantar, dançar, rir e, em alguns casos até chorar, porque a energia em que o seu corpo se encontra é tão boa que é da natureza do ser-humano querer compartilhar aquilo com alguém, mostrar o quanto se está feliz e como isso é prazeroso pra você. 
O enredo, em si, não se tem um "clímax". Imagino o quanto isso deva parecer estranho e a estória algumas vezes pode até se tornar um pouco monótona, mas este é um daqueles enredos que acaba lendo porque gostou dos personagens, ou o modo como é narrado e, quem sabe até, apenas por acompanhar a rotina do personagem, esperando saber o que virá acontecer com o mesmo no dia seguinte. Todavia, com um
final impressionante e que resume um pouco o mistério do personagem, sem dar todas as cartas. Apenas dizendo o porque ele é deste jeito: bastante preservado, inocente, meio depressivo, algumas vezes problemático e solitário; o que cria muitas dúvidas e faz o leitor questionar-se sobre alguns ocorridos. Uma obra que te leva a pensar e refletir bastante. 
O livro todo é escrito em formato de cartas. Portanto, Charlie fala diretamente com os leitores, explicando cada detalhe da sua vida, descrevendo os personagens e suas personalidades: seus pontos fracos, seus pontos fortes. Possui algumas passagens de efeitos bastante exclusivos e impactantes. Também existe, no meio do livro, um poema que achei brilhante e que me marcou. Só que não irei postar aqui, agora. Afinal, vai que deseje ler o livro… Faça como o Charlie, deixe de viver na margem. Não irei te contar "As vantagens de ser invisível". Deixarei que descubra por si só, o que acha? Ah, e só pra não perder o costume….


Com amor, 
Carol.

Comentários

Elieny Brandão disse…
Eu tenho este livro em pdf, inclusive, eu o carrego no celular e sempre leio um pouquinho quando tenho tempo, mas até hoje li pouquíssima coisa. Em compensação, o filme entrou para a lista dos meus favoritos, adorei.

Beijos,
Elieny Brandão.
Depois do Para Sempre
Daiana Maciel disse…
Oi Anna!
Menina adorei sua resenha! Está tão reflexiva.
Já li esse livro, mas confesso que não sei bem se gostei. Terminei de ler e senti uma mistura de 'gostei e não gostei'. Acho que vou reler para poder definir melhor. rs

Beijos
Anna F disse…
É um livro bem diferente… Penso que seja daquele tipo "ou se ama, ou se odeia". Eu, entretanto, consegui amar em algumas partes e odiar em outras. Não me decidi ainda em que lado estou, haha. A estória é muito boa, mas a forma como ela é contada pela autora não foi muito feliz, acredito eu. O filme ainda não assisti, mas quero ver logo!
Beijos! ^^
Anna F disse…
Oi Dai! (:
Ah não pense que foi só você! kkk Eu também ainda estou nessa situação indecisa. Foi como disse, acho que a estória é uma boa, mas o modo como ela é contada que não foi lá muito feliz… Poderia ser melhor. Irei assistir o filme e depois faço uma critica sobre o que achei! (: Já assistiu? Beijos!
Julia disse…
Eu tenho o livro em pdf,mas não consegui ler nem 5 paginas achei meio maçante e odiei só de ler o começo talvez eu de uma chance para ele!
Beijos e seguindo...
http://teenagersblogofficial.blogspot.com.br/

Postagens mais visitadas