Cisne Negro (filme)

Ficha Técnica
Título original: Black Swan
Elenco: Natalie Portman, Mila Kunis, Vincent Cassel
Direção: Darren Aronofsky
Gênero: Terror psicológico;
Estréia: 3 de Setembro de 2010
Baseado no livro de Dennis Lehane
Duração: 108 minutos (1 hora e 48 minutos)
Indústria Cinematográfica: Fox Pictures
Classificação: 5/5





Segundo uma lenda Cherokee, todos os seres humanos (por serem racionais) possuem dois lobos dentro de si. 
"[...]Há uma batalha terrível entre dois lobos que vivem dentro de mim. Esses dois lobos tentam dominar o espírito de todos nós.
Um é mau. Seus dentes são fortes como raiva, inveja, ciúme, tristeza, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, orgulho, superioridade e ego. O outro é bom. Seu olhar é forte como alegria, esperança, serenidade, paz, humilde, empatia, bondade, generosidade, verdade, perdão, compaixão, harmonia e fé." 
De acordo com eles, o vencedor da batalha se torna o lobo ao qual você "alimenta", o que você aceita. Cisne Negro, o filme que concorreu ao Oscar em 2011 como "melhor filme", trata-se sobre isso. Acredita-se que este irá vir a se tornar, ao longo dos anos, um clássico, já que aborda um problema presente em muitas pessoas nos dias atuais: o perfeccionismo. Nina é uma bailarina que, assim como outra qualquer, sempre sonhou em ser a principal em um festival de ballet. Com a chegada de uma nova dançarina que beira tomar o seu papel na "peça", a protagonista começa a ter visões com o seu "lado negro" (lobo mau) e a partir daí vive em meio a uma batalha psicológica de transtornos de personalidade, visando assumir o seu lugar na apresentação. 
Achei incrível; única, a forma como o roteirista conseguiu fazer de uma peça de ballet um enredo de um filme, envolvendo em um só personagem os ambos os cisnes e retratando-os com intensidade: o quão boa e má uma pessoa possa ser. O tipo de terror psicológico que realmente mexe com o pensamento das pessoas por algum tempo, pelo fato de envolver elementos do nosso dia-a-dia em um modo de ser, de agir e de pensar. A pressão sofrida por Nina de "ter de ser a melhor", de resistir e curar-se dos momentos ruins que a vida nos concede, mas principalmente por cobrar de si mesma a perfeição o tempo todo (entenda-se por perfeição: ser a mais alegre, melhor filha, mais educada, mais carismática, etc). 
Admirei também a trilha sonora, assim como as coreografias, as atuações (que foram extremamente brilhantes) a escolha das cenas, os personagens, os cenários, os figurinos e as fotografias (principalmente a que coloquei acima, já que consegue retratar o conteúdo do filme com apenas uma imagem: o lado bom e ameno de ser como as partes externas do foco da imagem - representado pela cor branca, e a parte interna por possuir cores mais escuras, assim como o olho da personagem encontra-se como quando esta representa o cisne negro - pelos dizeres de que "os olhos são as janelas da alma"). 
Garanto que o filme está dentre os meus favoritos de todos os tempos (se duvidar, até mesmo pelos cinco primeiros) e sugiro aqueles que gostam da temática assistir e até mesmo quem não gosta, tentar, já que vale muito a pena! 

Comentários

Daiana Maciel disse…
Li o post e assisti o trailer e pensei: Esse eu tenho que assistir! =)

Beijos
Anna F disse…
Ah, pode ter certeza que não irá se arrepender! beijoos Dai

Postagens mais visitadas