Os Intocáveis (filme)

Ficha Técnica
Título original: Intouchables
Elenco: François Cluzet, Omar Sy
Direção: Eric Toledano, Olivier Nakache
Gênero: Comédia; Drama
Estréia: 31 de Agosto de 2012
Duração: 112 minutos (1 hora e 52 minutos)
Indústria Cinematográfica: California Filmes
Classificação: 4/5





Este foi um dos poucos filmes ao qual não havia lido a sinopse antes de ir assistir. Pra falar a verdade, não estava nem um pouco afim de assisti-lo. Sinto-lhes informar, mas confesso que tive um pensamento preconceituoso deste sem mesmo ter conhecimento sobre. Imaginei que abordasse, mais uma vez, a história dramática sobre a vida de uma pessoa com deficiência que, infelizmente, sempre são vistos como pessoas inferiores e que são dignos de pena, apenas por possuir uma dificuldade que as diferenciam de algumas outras. Não me entendam mal, com isto não quero dizer que estes não sofrem, muito devem sofrer. Mas realmente não gosto da perspectiva de que, por ser impossibilitado de fazer algo, isto é o motivo para que o mundo se acabe. A vida não é assim. Ela não dá as regras para que sejam lidas e depois descartadas, é preciso encarar os obstáculos em uma tentativa de superá-los, e não desistir.

Os Intocáveis se tornou o longa com a segunda maior bilheteria do cinema Francês. Inspirado em uma história real, o filme aborda realidades totalmente diferentes - de um negro, chamado Driss, que é pobre, vive em um "bairro negro", sem uma educação muito boa e sem nenhum jeito para cuidar de pessoas com deficiência; e de seu chefe, um branco, rico, cujo nome é Phillippe, que vive em uma mansão com sua filha mimada, e se tornou tetraplégico após um acidente de parapente - fazendo assim um contraste bem interessante.
Sim, ambos têm problemas, diferentes, assim como todas as pessoas no mundo, e inúmeros. Um problema leva a outro, não é mesmo? A vida de ninguém é tão fácil assim. Este é um fator incluído no longa que é de se admirar, pois humaniza ainda mais os personagens. Trazem os, ao mesmo tempo que estejam longe, para perto do espectador.
É um longa realmente bastante engraçado, uma prova de que nada é tão ruim que signifique ser "o fim do mundo", com a mensagem de que "para tudo se dá um jeito". Driss trata o seu amo como uma pessoa normal, e não alguém com quem os outros mereçam ter pena por precisar de uma ajuda especial. É por isso que Phillips acaba gostando dele, pelo seu modo "agressivo" de ser, por tratá-lo de igual para igual, e acaba o contratando.
O mesmo, por tratá-lo assim, acaba mostrando outros caminhos para que ele consiga ter uma vida parecida com a que levava antes do acidente que o tornou impossibilitado de se mover, deixando clara a sua capacidade de viver "normalmente". Assim como Driss, Phillippe também o adentra no mundo em que ele está acostumado, ensinando-o outros prazeres, novas sensações, fortalecendo o laço de amizade criado entre eles, fazendo com que ambos compartilhem novas experiências e descubram, cada um, um "novo mundo" que, até então, não conheciam.


Comentários

O Livro de Hoje disse…
Fiquei suuuuper afim agora de ler!! *-*
Anna F disse…
aham, é muito legal! (:

Postagens mais visitadas